Por que jogar ‘Pugb’(Playerunknown’s Battlegrounds) é bom (ou não tão ruim) para o seu filho

Ad Blocker Detected

Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by disabling your ad blocker.

Hoje em dia os jogos de celulares são os mais usados atualmente, com isso muitas crianças e adolescentes principalmente  adoram jogar,  porém os jogos que estão fazendo mais sucesso são os de tiro e com isso muitos pais de crianças e adolescentes ficam preocupados se esse tipo de jogo pode influenciar na vida e na saúde de seu filho. Nesse artigo vamos debater esse assunto.

Fique sempre atento a estilos de jogos que seu filho está jogando. Isso pode influenciar no seu desenvolvimento futuros.

Certa vez um garoto de 11 anos vive explicando para a mãe dele alguns tipos de armas que ele aprendeu em jogos mobile.

O garoto chega para mãe e fala sobre fuzil de assalto sobre como ele é bom a meia distância,  fala sobre espingardas metralhadoras e pistolas,  essas palavras soa inquietamente na boca de David de apenas 11 anos de idade, e com isto a mãe dele ficou preocupada isso faz bem para o garoto.

São vários os jogos de tiro existentes no mercado hoje em dia,  os mais populares são Free-fire, Pubg, e Fortnite.

Todos esses jogos são para dispositivo mobile, eles têm muito em comum,  além de ter de tiro é um jogo de estratégia que põe em confronto 100 jogadores online. O objetivo é sobreviver, o grupo de 4 pessoas que sobreviver e ficar por último ganha o jogo.

Rebeca Díez Somavilla, professora de Comunicação Audiovisual na Universidade Politécnica de Valência faz uma declaração que mesmo esse jogos de matar,  o jogo pode ajudar a desenvolver atenção de concentração e a capacidade de planejamento, e até mesmo fazer mudanças diante de circunstâncias.

Deputados, então em geral esse tipo de jogos faz com que os adolescentes e crianças se desenvolvam mentalmente em algumas áreas. Mas é claro os pais tem que administrar o tempo em que seu filho fica no jogo para que isso não se torne também um vício, tudo em excesso faz mal.

Leave a Reply